sábado, 25 de dezembro de 2010

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Gostei de conhecer estes blogs





Muito bom este blog http://divinoguia.blogspot.com/ inclusive ele tem um bar" o UVA, que fica na cidade de Campinas, estado de São Paulo, no Gramado Mall.
Uva Bar
R Alameda dos Vidoeiros 455, Campinas-SP
Bag In box
Sobre BIB, eu conheço a muito tempo, lá fora é muito comum.
Os vinhos acondicionados em "Bag In Box", ou BIB como é mais conhecido.
Trata-se de uma caixa de papelão, contendo uma bolsa plástica com o vinho dentro. Daí o nome "Bag in Box".
Na bolsa plástica, há uma válvula de dosagem (torneirinha) agregada que permite retirar o vinho sem que haja entrada de ar. Isso é importante porque todo vinho em contacto com ar, acaba oxidando e perdendo suas características organolépticas.
A bolsa plástica é metalizada para proteger o vinho contra a luz e é feito com material boPETmet (Metalized Biaxilly Oriented Polyethylene Terephtalate ).
Em português, o material é chamado: Polietileno Tereftalato Bi-Orientado e Metalizado. Algumas caixas de papelão trazem na parte superior, uma prática alça para transporte. Os vinhos acondicionados neste tipo de embalagem, conseguem manter suas características inalteradas por até 1 mês após aberto.
Guardando o BIB na geladeira, pode-se prolongar este prazo por 40 dias ou mais. Mas se engana quem pensa que esta embalagem é só para vinhos ruins.
Ela está sendo utilizada também para vinhos de qualidade melhor. Este sistema acaba sendo mais atractivo para donos de restaurantes e bares, que precisam servir doses individuais de vinho na taça, mas prezam pela qualidade do produto servido.
É ideal também para servir vinho em uma festa, ou onde houver um consumo "on demand". Para quem faz do vinho um hábito cotidiano em doses moderadas, é interessante a ideia de poder apreciar o vinho sem desperdícios.
Antes era necessário abrir uma garrafa e tomá-la inteira por até 3 dias Para pessoas que bebem vinho esporadicamente, não é grande vantagem, tendo em vista que a embalagem é de um mau gosto indiscutível, quando comparada ao charme e elegância da tradicional garrafa com rolha.
É difícil imaginar alguém abrindo um bom vinho para acompanhar por exemplo, uma pizza frita que foi feita rapidamente, com aquele molho pronto de latinha, em um dia de semana corrido, especialmente se a pessoa estiver em casa sozinha.
Imagine então uma polenta com molho, que é um prato bem simples. Seria estranho acompanhar esta polenta com um vinho sofisticado e caro.
Conclusão: Os vinhos de melhor qualidade, embalados em BIB acabam sendo uma opção atraente para beber uma taça de vinho honesto com comidas e refeições simples do dia-a-dia, mas jamais poderão carregar vinhos nobres ou substituir as garrafas com seus charmosos rótulos, rolhas e cápsulas.
Texto retirado do blog http://divinoguia.blogspot.com/

Bag-In-Box ou BIB
Na embalagem, uma Bag-in-Box ou BiB é um tipo de recipiente para o armazenamento e transporte de líquidos. Trata-se de uma forte bexiga (ou saco de plástico), normalmente feitas de várias camadas de filme metalizado ou outros plásticos, sentado dentro de um papelão caixa. A bolsa é fornecida para o "enchimento" como fez pré saco vazio. O "enchimento", em seguida, geralmente remove a torneira, enche o saco e, em seguida, substitui o toque. As bolsas estão disponíveis como individuais para máquinas semi-automático ou como os sacos de web, onde as bolsas têm perfurações entre cada uma. Estes são utilizados em sistemas automatizados de encher o saco onde é separado em linha, quer perante o saco é automaticamente preenchida ou depois. Dependendo do uso final, há uma série de opções que podem ser usados na bolsa, em vez da torneira. Os sacos podem ser preenchidas a partir de produtos refrigerados temperaturas até 100 graus celcius.

domingo, 17 de outubro de 2010

Cerveja Paulaner Salvator

Gostei muito desta cerveja, comprei no Museu da Gula por R$8,80, cara para ser tomada numa ocasião especial.

Paulaner Salvator Long Neck. Cerveja alemã. Esta é a precursora das cervejas bock dupla, fabricada por monges no século XVI, para sustentá-los durante os quarenta dias de abstinência já que não podiam ingerir alimentos sólidos ou para comemorar o aniversário de sua antiga inspiração, dia de São Francisco de Paula, em 2 de abril. Os monges a chamaram de cerveja do Santo Pai, em latim, Sanct Pater que passado para a língua alemã e corrupções posteriores dos dialetos locais levaram ao “Salvator”, conhecido.
Após 1700 a cidade de Munich havia se expandido para mais perto do monastério e alguns barris da cerveja festiva dos monges chegaram, inevitavelmente, às tavernas locais, fazendo com que a cidade tivésse conhecimento sobre a excelente qualidade da cerveja. Atualmente a Paulaner é a única cervejaria do mundo licenciada para fabricar a Salvator Beer. Conteúdo 330ml (vidro). Cerveja importada da Alemanha.
Fabricante/Fornecedor: Ikmat Dist Bebidas Ltda

Fonte:http://www.imigrantesbebidas.com.br/produto/386/Cerveja+Paulaner+Salvator+Long+Neck+330+ml, este site é muito bom, tem bebidas, alimentos etc...estou sempre visitando.

Um clássico da Paulaner e que ostenta reputação mundial. Uma cerveja muito nutritiva, consumida pelos monges da Paulaner como o "pão líquido" durante o jejum da Quaresma. De baixa fermentação, uma cerveja forte, de cor vermelha escura e com pronunciado aroma de malte.

Fonte: http://www.brejas.com.br/cervejas/alemanha/Paulaner-Salvator/, muito bom este site.

sábado, 25 de setembro de 2010

Ceveja interessante!!!

Eu tomei esta cerveja, foi diferente !!!
Gostei, mas tem que tomar em ocasiões especiais, é um pouco cara.



A Cervejaria Backer lançou à artesanal mineira, a Medieval é uma breja no estilo belgian blond ale com a assinatura do festejado mestre-cervejeiro Paulo Schiaveto, que com a produção confirma-se como um craque na arte de fazer cerveja. Sua coloração é dourada translúcida, e o creme é denso e razoavelmente consistente e persistente, deixando marcas perenes nas laterais da taça.


O aroma muito frutado volatiza deliciosas notas de cravo, cascas de laranja, tutti-frutti, fermento, malte adocicado, grama, além de um discreto floral lupulado. No sabor, o doce do malte aparece mais evidente, incluindo também sensações frutadas, picantes e levemente cítricas. A carbonatação é na medida certa e o final é longo e doce, deixando ainda, no retrogosto, uma sensação levemente alcoólica que não se percebe na degustação propriamente dita.




E o ritual do rompimento do lacre de cera, o que influi na cerveja? No aroma e no sabor, coisa alguma. Mas é um prodígio de marketing quando é feito no bar lotado. Nas mesas contíguas à cena, as conversas são interrompidas e todos pregam os olhos na breja sendo aberta. Macumba, despacho? Não, é uma cerveja especial sendo servida. Tiro e queda: a freguesia desata a pedir a Medieval, só pra presenciar a cerimônia.


Já para os degustadores familiarizados com as cervejas especiais e até mesmo para os colecionadores (são diversos modelos de tampinhas ilustradas com símbolos planetários medievais), a pantomima nem é necessária: A Backer Medieval é uma senhora breja.





Fonte: http://www.brejas.com.br/blog/22-06-2009/medieval-2299/

quarta-feira, 21 de julho de 2010

quarta-feira, 14 de julho de 2010

VINHO DO PORTO

Ana Menezes da grandcru, me mandou uma explicação sobre vinho do porto, ela é muito simpática e competente.

Alguns esclarecimentos sobre os estilos de vinho do Porto:

Porto Branco: ideal para aperitivo, elaborado a partir de uvas brancas,pode ser seco, doce ou muito doce, geralmente não tem longo envelhecimento em barricas

Porto Ruby: de cor intensa, encorpado e muito frutado, geralmente tem média três anos de envelhecimento em carvalho, aromas de frutas vermelhas e negras maduras, compota e especiarias;

Porto Tawny: cor aloirada, aromas delicados de baunilha e frutas secas, como nozes e amêndoas, é resultado da mistura de vários vinhos, de diversas safras,

Porto LBV: é um Ruby de safra única, selecionado por sua elevada qualidade. Engarrafado após 4 a 6 anos de estágio em barricas, tem cor rubi intensa, é encorpado e muito frutado.
Porto Colheita: é um Tawny de uma só colheita que envelheceu em cascos por um período mínimo de 7 anos.

Porto Vintage: considerado por muitos o rei dos vinhos do Porto. Elaborado com uvas de um único ano, sendo engarrafado dois a três anos após a colheita. Pode evoluir por décadas, mas encanta em qualquer fase de sua vida.

Vinhos do Porto e sua harmonização
Ao contrário do que possa parecer, o vinho do porto não é utilizado somente como vinho para aperitivos ou após as refeições, mas nos permite estabelecer diversas harmonizações.

Vinho do Porto Vintage e sua harmonização

O vinho e o queijo parecem ter sido feito uma para o outro.

Um bom exemplo é uma clássica e magnífica harmonização: queijo da Serra da Estrela (queijo feito com leite cru de ovelha, cremoso e com forte personalidade) com o Porto Vintage.


Vinho do Porto LBV (Late Bottled Vintage) e sua harmonização

Vinho de qualidade elevada proveniente de uma só colheita.

Um vinho fortificado com ótima estrutura, harmonia e equilíbrio, pode ser oferecido durante uma refeição, também é um vinho de qualidade elevada proveniente de uma só colheita. Uma ótima opção é experimentá-lo com outro prato, intercalado com outros vinhos.
Sugestão acompanhá-lo com fatias de fígado fresco de pato salteada na própria gordura e especiarias. Também combina muito bem com variados sortimentos de chocolates de texturas variadas.

Vinho do Porto Tawnies 10, 20, 30,40 anos e sua harmonização
Ótimos acompanhamentos são: arroz doce, rabanada, doces a base de ovos e amêndoas ou como digestivo após o café.
O Porto Tawny é um clássico na harmonização com algumas sobremesas típicas de Páscoa, principalmente chocolates. A potência e a doçura equilibradas deste fortificado ajudam a tornar inesquecível a harmonização com bombons, ovos de Páscoa e barras de chocolate.
Vinhos do Porto Tawnies, ruby reserva e datas de colheita
Todos vão muito bem com frutas secas (figos, nozes, avelãs, damasco, etc.), patês de presunto, com os queijos azuis (Roquefort, Stilton, Gorgonzola).
Vinho do Porto Branco e sua harmonização
Ideais como aperitivo, servido fresco, combinam com canapés, carne frias, queijos frescos.
Outra opção é servi-lo como cocktail, o excelente e refrescante "long drink" que é o Porto branco, água tônica (em iguais proporções), cubos de gelo e uma rodela de limão.
Fonte

domingo, 11 de julho de 2010

Cervejas Eisenbahn

Antes escrever o post, gostaria de saber o que faço, pois os comentários que recebo; eu publico, depois de aprovar, mas não querem aparecer aqui no post. alguém saberia me dizer o que fazer?

Vamos lá:

Este fim de semana degustei as 2 cervejas da ponta

Eisenbahn é uma rara combinação de tradição, talento e tecnologia.
A família que fundou a cervejaria visitou as melhores cervejarias do mundo, na Alemanha e na Bélgica, e trocou informações com os mestres cervejeiros desses pequenos fabricantes. Para cuidar da produção do precioso líquido, trouxe um mestre cervejeiro alemão com 30 anos de experiência, formado na mais conceituada universidade de cervejeiros do mundo, a Weihenstephan, na Alemanha.
A matéria prima utilizada no processo de produção vem dos melhores fornecedores do mundo. Através de um processo automatizado de fabricação - único entre as cervejarias artesanais - produz cervejas de qualidade consistente, sempre seguindo a tradição e a paixão que marcam as melhores cervejas do mundo. Com receitas centenárias e desenvolvidas para harmonizar com pratos bem elaborados, contribui para uma experiência gastronômica mais rica.
Clique aqui e conheça a trajetória da Eisenbahn

Eisenbahn Pilsen (Gostei muito)
Parece mais concentrada que as pilsen que bebi

A Eisenbahn Pilsen foi desenvolvida para agradar a todos os paladares, pois a cerveja tipo Pilsen é a mais conhecida no Brasil e também a mais consumida no mundo.
É uma cerveja clara puríssima do tipo Lager, de baixa fermentação, suavemente amarga e de médio teor alcoólico (4,8%).
De coloração dourada, a Eisenbahn Pilsen traz em cada copo o verdadeiro sabor das cervejas de puro malte. Suas principais características são a pureza, transparência e sabor, que não tem comparação entre as Pilsen nacionais, lembrando muito as importadas alemãs.
A cerveja Lager é historicamente mais recente que as Ales, tendo sido difundida a partir de seu berço, a cidade de Pilsen na República Tcheca. Para sua fermentaçãosão utilizadas leveduras que resultam noprocesso chamado de baixa fermentação,ou fermentação a frio.
Temperatura ideal para degustar: 2 a 4 graus


Pilsen Natural

Dourada, leve e saborosa. É a primeira cerveja orgânica do Brasil, feita com ingredientes sem agrotóxicos e fertilizantes sintéticos. Embalagem com 6 garrafas de 355ml.
É um produto certificado pelo IBD - Instituto Biodinâmico, que fiscaliza e certifica produtos orgânicos no Brasil de acordo com normas internacionais.
Temperatura ideal para degustar: 2 a 4 graus

Eisenbahn Weizenbier
( gostei muito, um trigo bem concentrado)


A Eisenbahn Weizenbier é uma cerveja de trigo leve e refrescante. Com textura e corpo mais densos, é admirada pela mistura perfeita dos cereais. E como não é filtrada, conserva em cada copo o fermento utilizado no processo de fabricação, ganhando cor e um sabor sem igual.
As Cervejas de Trigo são de alta fermentação e são muito consumidas no sul da Alemanha, onde são produzidas algumas das mais conhecidas marcas do mundo. Para desenvolver a Eisenbahn Weizenbier, nosso Mestre Cervejeiro foi desvendar em Munique os mais antigos segredos do engarrafamento deste tipo de cerveja. O resultado é uma cerveja deliciosamente sem igual.
Temperatura ideal para degustar: 3 a 5 graus
Fonte

Eisenbahn Pale Ale ( gostei)

Eisenbahn Pale Ale é uma cerveja de coloração âmbar, de paladar e amargor mais encorpados e complexos e com teor alcoólico de 4,8%. É muito parecida com as Ales belgas e a temperatura ideal para seu consumo é entre 3 e 5 graus. A Eisenbahn é uma das únicas Pale Ale brasileiras - uma jóia rara para os apreciadores das melhores cervejas.
O termo Pale Ale, que significa uma Ale Palha, ou clara. Foi criado na Inglaterra para descrever as cervejas mais claras da época, que tinham cor de cobre. As cervejas do tipo Ale representam a melhor tradição européia, especialmente as belgas e inglesas.
As Ales são cervejas de alta fermentação ou fermentação a quente, que realça os sabores mais complexos, frutados e lupulados deste tipo de cerveja. São mais vigorosas e encorpadas e têm características variadas, sendo doces ou amargas, claras ou escuras.
Temperatura ideal para degustar: 3 a 5 graus

Eisenbahn Dunkel


Cerveja do tipo Lager, de baixa fermentação, a Eisenbahn Dunkel leva em sua receita cinco tipos diferentes de maltes importados. O resultado é uma cerveja marcante, com um aroma incomparável que apresenta notas de torrefação e de café.
Temperatura ideal para degustar: 3 a 5 graus

Harmonização

13 Dicas de Como Harmonizar Cerveja com Gastronomia

Cervejas são versáteis e diversas em estilo, sabor, aroma, corpo, cor, amargor, acides, teor alcoólico, entre outras características. Essa diversidade nos permite ter grandes experiências tanto complementando quanto contrastando com os sabores da comida.
A cerveja certa melhora o sabor do seu prato.

Preparamos 13 dicas especiais para que você atinja a maior satisfação possível durante uma refeição regada a cervejas tradicionais:
1 - Pratos leves, cervejas leves: procure equilibrar o nível de complexidade, peso e intensidade do prato com o da cerveja. Pratos de sabor leve e suave devem combinar com cervejas também leves. Cervejas encorpadas tendem a “apagar” e se sobressair sobre o sabor de pratos leves. Pratos de sabor forte devem ser armonizados com cervejas encorpadas e de sabor intenso. Por exemplo, camarão combina com Weizenbier ou Kölsch (cervejas suaves, de baixo amargor). Feijoada combina com Dunkel, Rauchbier e Weizenbock (sabores fortes tostados, terrosos, defumados e caramelizados).
2 - Combine sabores semelhantes: procure unir doce ao doce e ácido ao ácido. Harmonize uma levemente ácida Weizenbier com um Ceviche (peixe marinado no limão). Pato com molhos adocicados (de frutas e/ou redução de vinhos) combina bem com Doppelbock, Bock, Weizenbock e Cream Stouts (doces).
3 - De vez em quando ignore as dicas anteriores e faça novas experiências. Teste o contraste de sabores (Stout com ostras), assim como novas formas de complementação. Você vai se surpreender com o que pode descobrir.
4 - Se você é conhecedor de vinhos, pense em uma Ale escura como um vinho tinto e em uma Lager clara como um vinho branco. Pense em cervejas de alto amargor como vinhos bem ácidos ou com bastante taninos.
5 - Gosto é subjetivo. Cada pessoa percebe sabores e aromas de uma forma muito particular. Não fique restrito a regras. Se estiver bom pra você, relaxe e aproveite. Mas esteja sempre aberto a sugestões.
6 - Em um "Beer Dinner" (jantar com cerveja), procure servir as cervejas e pratos mais leves primeiro, crescendo em peso e intensidade no decorrer da refeição, para que as mais encorpadas não façam com que as leves pareçam “aguadas”. O mesmo vale para cervejas secas (amargas) e doces. Comece pelas secas.
7 - Carbonatação: o CO2 presente na cerveja tem a capacidade de limpar os sabores fortes e gordurosos da comida e deixar sua boca pronta para a próxima garfada, como se cada uma fosse a primeira. Prove uma Dunkel com uma costela ou feijoada e verá o resultado. O CO2 refresca o paladar e concentra os aromas da cerveja, fazendo-os chegar ao seu nariz.
8 - Amargor: o amargor estimula o apetite e é o contrapeso para o açúcar residual deixado pelo malte. Com uma função parecida com a da carbonatação, o amargor tem a capacidade de limpar o paladar, cortando a gordura e os sabores de pratos pesados. Prefira pratos apimentados e gordurosos com cervejas de alto amargor, como as IPA (India pale Ale), Pale Ale e Amber Lager.
9 – Identifique o elemento mais forte. Procure encontrar no prato o ingrediente de sabor e aroma mais intenso. Ele pode ser a carne, o molho ou o acompanhamento. Combine a cerveja com esse elemento mais forte.
10 – Evite cervejas muito alcoólicas com pratos apimentados. O álcool intensifica a força da pimenta.
11 – Dois sabores iguais presentes no prato e na cerveja, quando combinados, tem a sua percepção reduzida. Cerveja defumada combinando com prato defumado diminui a percepção de defumação em ambos. Prato doce com cerveja doce diminui a percepção adocicada em ambos.
12- Cervejas doces e sabores torrados: cervejas com bastante açúcar residual (Bock, Weizenbock, Barley Wine, Cream Stout) combinam com pratos com molhos adocicados e molhos agridoces, presentes na comida chinesa, por exemplo. Cervejas feitas com malte torrado apresentam sabores de torrefação, parecidos com o de um café expresso (Schwarzbier, Dunkel, Stout). Esses sabores combinam perfeitamente com comidas grelhadas e com sobremesas de chocolate.
13 - Cerveja com sobremesa: a cerveja certa pode combinar maravilhosamente bem com sobremesas. Imperial Stouts (açúcar residual, malte torrado), combina bem com chocolates meio amargos. Kriek belga (cerveja feita com cereja, frutada) combina bem com sorvete de baunilha ou com cheesecake.

SUGESTÕES DE HARMONIZAÇÃO COM EISENBAHN
Kölsch - Saladas, peixes delicados, molhos de base cítrica, lagostas, mariscos, camarões e siri.

Dunkel - Feijoada, carne de porco com molhos com frutas; chucrute,carnes assadas, combinações doces e salgadas, lingüiças , frango assado, peixes encorpados, molhos funghi e comida Chinesa.

Weizenbock - Pato, carne de cervo, carne de vitela, goulash.

Weizenbier - Comidas mexicana, tailandesa, indiana e chinesa; salsicha de carne de vitela branca com mostarda doce; carne de porco assada, frutos do mar ao vapor e lagosta.

Pilsen Orgânica - Valem as mesmas sugestões que acompanham a cerveja Pilsen.
Pilsen - Pratos com peixes delicados, mariscos, crustáceos, sushi, lingüiças e saladas.
Pale Ale - Combina com carne de carneiro, de porco e de gado. Queijo Roquefort, salsichas alemãs e pratos condimentados.

Rauchbier - Pratos com carnes assadas, peixes defumados e carnes defumadas. Produzida especialmente para harmonizar com charutos.

Weihnachts Ale - Combina com carne de carneiro, de porco e de gado. Também com peru grelhado ou assado. É perfeita para a ceia de Natal.

Eisenbahn Strong Golden Ale - Combina com massas com molhos pesto ou de mexilhões, com frutos do mar, comida indiana, tailandesa e ostras.

Lust - Ideal como aperitivo ou acompanhando entradas e sobremesas.